18 de julho de 2012 11:41

Google usa design inteligente para simular cérebro

Por Michelson Borges

Segundo matéria publicada pela revista Info, pesquisadores do Google X, laboratório secreto comandado pelo fundador do Google Sergey Brin, montaram uma rede de mil computadores, totalizando 16 mil núcleos de processamento, para simular o cérebro humano. “E a primeira tarefa dessa rede neural foi identificar gatinhos em vídeos do YouTube”, diz a revista, que também afirma se tratar da maior rede neural já construída. “O desafio era criar um sistema capaz de aprender a identificar imagens sem que fosse necessário ensinar a ele os critérios exatos para essa identificação.”

De acordo com a Info, o sistema processou dez milhões de imagens obtidas de cenas escolhidas aleatoriamente em vídeos do YouTube. Ele se mostrou capaz de determinar quais delas continham gatos e outros objetos. O enorme poder computacional foi empregado para permitir que, apenas analisando as imagens, os computadores aprendessem a classificá-las em função dos objetos, pessoas e animais contidos nelas.

Detalhe: “O índice de acertos foi de 16%, o que representa uma melhora de 70% em relação a resultados obtidos anteriormente em experimentos similares.”

Conclusão: usando a melhor tecnologia disponível hoje, os pesquisadores conseguiram simular apenas uma função do cérebro humano (reconhecimento de formas), com um índice de acerto de apenas 16%. Como se pode ver, estão muito longe de imitar a eficiência do mais complexo pedaço de matéria (com apenas 1,5 kg) do Universo. De qualquer forma, essa pesquisa mostra que, mesmo para imitar de longe um órgão humano, é preciso muito design inteligente.

Michelson Borges

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*