05 de julho de 2017 09:01

Ex-empregada acusa Tiririca de assédio sexual

Caso foi para o Supremo Tribunal Federal, responsável por investigar políticos com foro privilegiado

Por Redação

A ex-empregada doméstica de Tiririca, Maria Lúcia Gonçalves, acusou o deputado na Justiça por assédio sexual. Ela alega que foi alvo de assédio de Tiririca durante viagens que fez com a família dele em 2016.

A defesa de Tiririca afirma que o deputado e a família estão sendo vítimas de extorsão e que a empregada doméstica, após ter sido demitida, em junho do ano passado, exigiu R$ 100 mil reais para não prejudicar a reputação do parlamentar.

O caso foi para o Supremo Tribunal Federal (STF) no final de junho de 2017, já que a Corte é responsável por investigar políticos com foro privilegiado.

Em contestação enviada para a vara trabalhista em junho, o advogado de Tiririca, Fernando de Carvalho Albuquerque, disse que Maria Lúcia “não se adaptou à rotina da família e tentou utilizar o pouco tempo de convivência para chantagear os reclamados (Tiririca e a mulher) pedindo a quantia de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para se manter em silêncio em relação a vida intima do casal”.

Os comentários para este conteúdo estão encerrados.