21 de dezembro de 2012 09:50

Estilista desenvolve trabalho com fibras e corantes naturais

Confec

Por Redação

A estilista Flávia Aranha cria blusas, saias e vestidos com fibras e corantes naturais desde 2009, quando inaugurou o seu ateliê em São Paulo. Porém, não faz o trabalho sozinha e conta com vários parceiros. O processo para a confecção dos produtos é manual e envolve desde a etapa do plantio do algodão orgânico, bem como a fiação e a tecelagem.

“Temos uma parte da coleção em algodão orgânico de Pirenópolis (GO); trabalhamos com algodão colorido de um projeto da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária); com seda feita a partir de casulos descartados; e tecidos industrializados”, explica a estilista. “Mas todas as fibras são naturais: seda, lã, linho, algodão”, garante.

O processo não termina por aí. Alguns tecidos passam por tingimentos realizados à base de extratos vegetais e, entre os corantes utilizados, está o urucum, pau-brasil, açafrão, nogueira, índigo e alfafa.

As peças, que chegam à loja da estilista dividem espaço com outros produtos como acessórios em couro de tilápia e colares com prata reciclada, que também são exportados para Alemanha, Suíça e Áustria.

Ideia sustentável

Antes de inaugurar sua loja, Flávia Aranha fez uma pesquisa sobre tingimento vegetal, fibras naturais, trabalhos com fiandeiras e não demorou muito para firmar as parcerias.

“Durante muito tempo trabalhei para empresas grandes e conheci de perto o processo convencional da indústria da moda. Fui ficando cada vez mais descontente com a maneira como se produz roupa hoje em dia. Então, resolvi fazer algo diferente. Minha marca nasceu com o conceito de moda consciente”, conclui.

Alogdão
Platio do algodão.
Algodão
Algodão.
Algodão
Tecelagem.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*