29 de outubro de 2010 15:29

Degustação de produtos de fast food a cada duas horas engorda funcionário que processa franquia

Gerente do Mc Donald‘s engorda 30 quilos em 12 anos de trabalho e justi

Por Junior Lima
Fachada do Mc Donalds  
Fachada do Mc Donalds em São Paulo.  

Após pedir demissão de uma unidade da rede de lanchonetes McDonalds de Porto Alegre, RS, 30 quilos mais gordo, ex-gerente processa franquia onde trabalhou por quase 13 anos e justiça decide indenização de R$ 30 mil por danos morais. Os donos ainda podem recorrer à terceira instância. A primeira havia ordenado indenização de R$ 48 mil, em decisão unânime, divulgada no dia 26/10.

O relator do processo, desembargador João Ghisleni Filho, afirmou que fatores genéticos e sedentarismo possivelmente contribuíram para a obesidade, mas isso não exime a responsabilidade da empresa, que deverá pagar 80% dos custos médicos (R$ 60.000,00) para o “restabelecimento das condições de saúde do reclamante”. As refeições fornecidas pela empresa consistiam de alimentos calóricos e não era possível a troca do lanche por dinheiro ou vale-refeição. Apenas recentemente foram introduzidos salada e frutas no cardápio.

Mas segundo o McDonalds, a franqueada da marca, Kalloponi Comércio de Alimentos, a empresa oferece “grande variedade de opções de alimentos e cardápios balanceados para atender às necessidades diárias de seus funcionários, de acordo com a legislação brasileira”,  oferecendo “opções e variedade de cardápio que permitem escolhas de acordo com as preferências individuais de cada pessoa, incluindo sanduíches, peixe, carne, frango, saladas, fruta, sucos, café, água ou refrigerantes” e que o “item qualidade é um dos aspectos mais reconhecido por clientes, especialistas e o mercado em geral”.

Um sanduíche do tipo “Big Mac” acompanhado de “Mc Fritas” grande e um refrigerante, somam 1.102 calorias. Isto é mais da metade da dieta de 2000 calorias diárias, somente numa refeição, conforme calculadora no próprio site do Mc Donald’s.

De acordo com o TRT – Tribunal Regional do Trabalho, provas e testemunhas indicam que o reclamante era obrigado a degustar produtos da lanchonete com “excesso de sal, açúcar e gorduras”, como hambúrgueres, batatas fritas, refrigerantes, sorvetes e milk shakes – alimentos altamente calóricos -, de duas em duas horas.

A defesa da franquia afirma que a empresa “sempre disponibilizou assistência médica aos empregados” e que jamais obrigou o funcionário a se alimentar exclusivamente dos produtos que comercializa, “mas que ele os consumia por vontade própria e porque gostava”. E ainda destaca que a obesidade e a hipertensão já são considerados problemas de saúde pública, não podendo ser consideradas doença ocupacional.

Segundo informações do TRT, o funcionário afirmou que quando então começou a trabalhar na lanchonete, aos 18 anos de idade, em 1996, pesava entre 70 e 75 kg e 105 kg em quadro de obesidade 2, com altas taxas de colesterol e flacidez muscular quando saiu, em 2009. “Em decorrência de longas jornadas sem intervalos adequados, alimentava-se em pé, em horários irregulares, consumindo exclusivamente os produtos da reclamada.”

Atualmente, o reclamante trabalha em um restaurante no Rio de Janeiro.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*