06 de dezembro de 2010 16:57

O número de mulheres obesas aumentou 22% em apenas 4 anos, diz estudo

A falta de h

Por Junior Lima

Quase metade da população brasileira tem excesso de peso (46,6%), sendo que a obesidade atinge 13,9% da população geral, e 14% da população feminina.

A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2009, divulgada pelo Ministério da Saúde em 06/2010, revela que a maior prevalência de mulheres obesas está na faixa etária de 55 a 64 anos (21,3%). Mas de 2008 para 2009, a faixa etária em que a obesidade se tornou mais presente é a de 18 a 24 anos, pois 3,5% o número dobrou em apenas um ano.

Em apenas quatro anos, desde 2006 quando o levantamento começou a ser feito, o percentual de mulheres com obesidade aumentou 22%. De modo geral, 42,3% das brasileiras têm peso acima do ideal. Entre os homens, 51% estão acima do peso e 13,7% obesos.

“Há uma ascensão do aumento do sobrepeso em todo o mundo desde a década de 70, mas o crescimento nesses quatro anos é muito significativo”, afirma a coordenadora de Vigilância de Agravos e Doenças Não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta.

Para o endocrinologista Fernando de Godoy Matos, membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, “essa é uma tendência secular no Brasil. Vivemos uma transição nutricional, em que o aumento do poder aquisitivo da população muda os hábitos.”

O endocrinologista explica que televisões e carros fortalecem a tendência ao sedentarismo – que somado ao aumento do consumo de alimentos doces e industrializados contribuem para o aumento da obesidade. “Apesar de terem maior poder aquisitivo, as pessoas não são educadas a ponto de saberem prevenir o problema da obesidade”, ressalta.

Segundo Deborah Malta, a necessidade de educação para a saúde é um “sério problema mundial”. Matos completa: “Informar não é educar. As campanhas são importantes, mas é preciso uma política de governo de educação intensa.”

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*