28 de outubro de 2013 14:34

Adolescente é morto por PM e gera protestos na Vila Medeiros, em SP

Ele foi levado ao hospital do Jaçanã, mas não resistiu ao ferimento e morreu

Por Redação

A morte de um adolescente baleado por um policial militar na região da Vila Medeiros, na zona norte de São Paulo, neste domingo (27), foi motivo de protestos desde a tarde na região, que já têm registros de três ônibus e um carro incendiados.

A Polícia Militar informou, em nota, que por volta das 14h, PMs atendiam uma ocorrência de perturbação do sossego na rua Bacurizinho com a avenida Mendes da Rocha, quando suspeitaram de dois rapazes e decidiram abordá-los.

“Por motivo a esclarecer”, continua a PM, houve um “disparo acidental” da arma de um dos policiais, que atingiu um adolescente de 17 anos no tórax. Ele foi levado ao hospital do Jaçanã, mas não resistiu ao ferimento e morreu.

Há registro de protestos desde às 18h30 na região, quando um grupo promoveu pequenos incêndios na avenida Mendes da Rocha, mas foi dispersado por policiais.

Cerca de uma hora depois, porém, três ônibus foram incendiados próximo ao cruzamento das avenidas Edu Chaves e Roland Garros. O fogo atingiu a rede elétrica, causando o corte de energia na região. Com a falta de luz, cerca de 300 pessoas começaram a saquear comércios no local, segundo a PM.

Um suspeito foi detido e três adolescentes apreendidos suspeitos de furto a lojas e depredação. Eles foram levados pela PM ao 73º Distrito Policial (Jaçanã).

Às 20h40, segundo a corporação, um veículo Gol também foi incendiado na rua Luís Stamatis. Até as 21h30, outros três ônibus –dois da viação Transcooper e um da Sambaíba– foram depredados. Os manifestantes também espalharam e atearam fogo em entulho por diversas ruas, que tiveram o tráfego bloqueado.

*As informações são da Folha de S.Paulo

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*