03 de janeiro de 2017 12:56

“Não teria como evitar” diz secretário sobre massacre

Rebelião em presídio de Manaus deixou 56 mortos

Por Redação

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, negou nesta terça-feira (3) que tenha havido perda do controle sobre o sistema prisional. A declaração ocorreu dois dias após a rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que deixou 56 pessoas mortos.

Segundo Fontes, o governo tem controle sobre os presídios e qualquer ação da polícia no local teria sido em vão. “Nós não teríamos, realmente, como evitar”, afirmou. De acordo como o secretário, os fatos que transformaram o massacre em um dos maiores da história do país ocorreram “nos primeiros minutos da rebelião”.

Um Comitê de Gerenciamento de Crise foi criado para atuar no caso ao lado de uma força-tarefa, responsável pela apuração das mortes.

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas informou que, até o fim da noite de segunda-feira (2), 48 detentos haviam sido recapturados.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*