17 de agosto de 2013 10:47

Grupo de ambientalistas protesta abandono de navio acidentado

O navio Costa Concordia está há 582 dias no mar

Por Redação

Um grupo de ambientalistas italianos, membros da organização “Legambiente”, realizou ontem, 16, uma blitz na ilha do Giglio, em frente ao navio Costa Concordia, que permanece encalhado há um ano e meio no mesmo local onde ocorreu o acidente.

O transatlântico de luxo de 290 metros de largura e 70 metros de altura, naufragou no dia 13 de janeiro de 2012, após uma colisão contra rochas próximas a Isola del Giglio, deixando 32 mortos. No ocorrido, 4.229 pessoas estavam a bordo

O presidente nacional do grupo protestante, Vittorio Cogliati Dezza, expressou “séria preocupação” para a situação do Concordia, que comparou a “um jogo do banco imobiliário, onde sempre se volta ao ponto de partida”. “Vamos parar com as brincadeiras, estamos em frente a uma verdadeira emergência nacional que parece ser ignorada pelo Ministério das Infra-estruturas e dos Transportes, que se destacou por sua inércia e silêncio”, afirmou Dezza.

Segundo declarações do chefe da Proteção Civil italiana, Franco Gabrielli, “o caso não deve ser considerado como o exemplo da ineficiência desse país”.

Participando da manifestação de Legambiente, Gabrielli, que foi nomeado pelo governo Comissário para a Emergência do Costa Concordia, explicou que a Proteção Civil “não ficou sem fazer nada” e ressaltou que, como as operações de resgate são realizadas por uma empresa privada, o contribuinte italiano não gastaria nenhum centavo com a operação, mesmo se fosse realizada.

 

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*