12 de junho de 2017 16:41

Cármen Lúcia: “não há o que questionar quanto à palavra do presidente”

Membros da Abin teriam monitorado o ministro do STF Edson Fachin

Por Redação

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou nesta segunda-feira (12) que não tomará providência sobre a denúncia de espionagem de ministros da Corte, uma vez que o Palácio do Planalto negou a informação.

Segundo reportagem publicada pela revista Veja, membros da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teriam monitorado o ministro do STF Edson Fachin, responsável por um inquérito que investiga Temer. A escuta teria sido feita a pedido do presidente, de acordo com a publicação.

Após a publicação, Cármen Lúcia emitiu uma nota no último sábado (10) condenando com veemência as suspeitas de monitoramento de ministros do STF. “O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça”, escreveu.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*