30 de maio de 2012 09:41

Caso Demóstenes: situação de senador começa a complicar

Colegas consideram situa

Por Edvaldo Júnior

O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) tem tentado de várias formas se afastar das suspeitas sobre o relacionamento com Cachoeira e os questionamentos do Conselho de Ética do Senado.

No entanto sua situação é avaliada com “complicada” por integrantes do colegiado.

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), comentou sobre as contas de um telefone Nextel de Demóstenes terem sido pagas pelo empresário Carlinhos Cachoeira. Para ele, já é um motivo claro para um parlamentar ter despesas pagas por um agente privado.

Demóstenes disse que o aparelho foi um “presente” do empresário.

“O telefone foi-me dado porque era mais fácil falar. Fala dos Estados Unidos, fala daqui, fala dali. Não tem nenhum contexto além disso”, afirmou Demóstenes.

Já o relator no Conselho de Ética, Humberto Costa (PT-PE), disse que o fato constará do relatório, a ser apresentado nas próximas semanas. Segundo ele, essa questão deve ser analisada de forma minuciosa. “Não é usual que um senador ou parlamentar conceda a uma pessoa claramente vinculada à contravenção a oportunidade de lhe presentear com um telefone”.

O senador Mário Couto (PSDB-PA), ex-aliado de Demóstenes na Casa, se disse decepcionado com as revelações. “Quando assisti à primeira gravação na TV, eu falei: Se a gravação for verdadeira, é uma das maiores decepções da minha vida.”

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*