16 de fevereiro de 2013 16:30

Dilma adota medidas de contenção

Com a inflação em alta, a presidente vai desonerar os impostos da cesta básica

Por Leonardo Simões

A inflação anda ameaçando a economia brasileira, e Dilma tenta achar um antídoto eficaz. O corte de impostos de itens da cesta básica e a redução do PIS/Cofins são algumas de suas armas para tentar segurar a inflação neste ano e garantir expansão do PIB acima de 3%.

As medidas devem entrar totalmente em vigor no máximo até junho. A principal delas – redução do PIS – deve atingir todas as alas da economia. A expectativa é que os preços dos setores beneficiados caiam.

Em janeiro, com a alta de 0,86% no IPCA, a inflação anualizada bateu em 6,15% (o teto da meta é de 6,5%) e acendeu o sinal de alerta no governo. O próprio Banco Central fez questão de divulgar que a taxa “preocupa” e deixa a instituição numa situação “desconfortável”.

A extensão da medida dependerá do custo fiscal. Mas o que o governo não quer é escolher quem vai receber o benefício, e sim atingir o máximo de setores possíveis.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*