31 de julho de 2013 14:40

Dilma libera emendas parlamentares

O governo espera que anestésico seja o suficiente para impedir uma rebelião dos congressistas

Por Leonardo Simões

Pressionada por todos os cantos, a presidente Dilma Rousseff vai ceder o pagamento de emendas parlamentares para acalmar a base aliada. Em reunião com dez ministros no Palácio da Alvorada, a presidente liberou três lotes de emendas parlamentares até o fim do ano, em parcelas, totalizando R$ 6 bilhões.

As outras “prestações”, no mesmo valor, devem ser liberadas em setembro e novembro.

O governo espera que anestésico seja o suficiente para impedir uma rebelião dos congressistas e também ganhe votações importantes, previstas para o mês de agosto.

“É um primeiro passo para melhorar a relação com a base aliada”, afirmou o vice-presidente da Câmara, deputado André Vargas (PT-PR). “Trata-se de um gesto fundamental porque, afinal de contas, as emendas são legítimas e importantes como investimento para os municípios. Mas, de qualquer forma, a presidente terá de ouvir mais a opinião dos parlamentares e debater projetos com mais antecedência”, acrescentou.

A maior preocupação do governo, contudo, é a derrubada dos vetos de Dilma a projetos aprovados pelo Congresso que custariam R$ 6,2 bilhões por ano ao Planalto.

 

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*