04 de agosto de 2016 09:35

Ex-presidente da Eletronuclear é condenado a 43 anos

Othon da Silva teria cobrado propina em contratos com empreiteiras

Por Redação

O ex-presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, foi condenado a 43 anos de prisão por crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa. Outras 12 pessoas envolvidas também foram condenadas na ação penal, que investiga crimes cometidos nas obras da usina nuclear de Angra 3.

As investigações apontam que Othon, também vice-almirante da Marinha, cobrou propina em contratos com as empreiteiras Engevix e Andrade Gutierrez. Ao todo, são 15 réus na ação.

A filha de Othon, Ana Cristina da Silva Toniolo, pegou 14 anos e 10 meses de prisão.

O ex-presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, também foi condenado, mas teve redução na pena por causa do acordo de delação premiada. Com isso, vai cumprir 7 anos e 4 meses de detenção.
José Antunes Sobrinho, um dos sócios da Engevix, foi condenado a 21 anos e 10 meses de cadeia.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*