16 de agosto de 2017 07:00

Governo altera meta fiscal para R$ 159 bilhões

Equipe econômica antecipou divulgação dos números

Por Redação

Os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciaram nesta terça-feira (15) a nova meta fiscal para 2017 e 2018. Com a mudança, a nova projeção para os dois anos ficou em R$ 159 bilhões.

Com a alteração, a meta fiscal para 2017 prevê um deficit primário R$ 20 bilhões acima dos R$ 139 bilhões que estavam previstos para este ano. Para 2018, o aumento foi de R$ 30 bilhões ao considerar a meta inicial de deficit de R$ 129 bilhões.

Um dos motivos que levou a essa revisão foi a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que ordenou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a refazer o leilão que renovaria a concessão de usinas hidrelétricas das Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A previsão era trazer R$ 11 bilhões aos cofres públicos com a concessão.

Outra medida que interferiu no resultado foi o Programa de Regularização de Ativos no Exterior, a repatriação, que tinha projeção de arrecadar R$ 13 bilhões e ajudar a cumprir a meta fiscal. No entanto, o governo conseguiu recuperar apenas R$ 1,61 bilhão. O governo ainda perdeu a queda de braço em relação ao aumento do Programa de Integração Social e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (PIS/Cofins) sobre o etanol. Com a reversão parcial, a queda estimada para este ano ficou em R$ 501 milhões.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*