27 de março de 2017 08:00

JBS descarta demissões de funcionários

Reflexos da operação não devem provocar mudanças radicais no grupo

Por Redação

Os reflexos da Operação Carne Fraca não devem provocar cortes e mudanças radicais no quadro de funcionários das empresas que compõem o grupo JBS. Segundo o jornal Folha de S. Paulo desta segunda-feira (27), executivos da companhia avaliam que os problemas acarretados já começam a ser superados.

O grupo tem cerca de 125 mil funcionários no Brasil. Mesmo com a suspensão temporária da produção de carne bovina em quase todo o Brasil, cortes não são considerados, já que países como China, Egito e Chile liberaram a importação de produtos brasileiros após rápido período de interrupção. A expectativa é pela volta do embarque de carnes para o exterior em breve.

A Operação, deflagrada no último dia 17, apura corrupção na Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Paraná (SFA/PR) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Dentre as empresas investigadas estão a JBS, dona das marcas Seara e da Big Frango; a BRF, controladora da Sadia e da Perdigão; e os frigoríficos Larissa, Peccin e Souza Ramos.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*