04 de abril de 2017 16:14

Ministro homologa delação de João Santana e esposa

Eles foram responsáveis pelo marketing da campanha de Dilma em 2010 e 2014

Por Redação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin homologou nesta terça-feira (4) acordo de delação premiada do publicitário João Santana e da mulher, Mônica Moura. Responsáveis pelo marketing d campanhas da ex-presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2010 e 2014, eles assinaram a delação com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

O casal foi preso em fevereiro de 2016, durante a 23ª fase da Operação Lava Jato, mas foram soltos após pagarem fiança de R$ 31,4 milhões e ficarem proibidos de atuar em campanhas eleitorais até uma nova decisão sobre o caso.

A assinatura do acordo tramitou em segredo de Justiça, mas foi divulgado hoje pelo vice-procurador eleitoral, Nicolao Dino, durante o início do julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Durante as investigações, Mônica Moura, que era responsável pela parte financeira da empresa de marketing do casal, informou que recebeu US$ 4,5 milhões em uma conta off shore na Suíça. Segundo a mulher do publicitário, o repasse era referente a uma dívida por serviços prestados ao PT durante a campanha da então presidente, em 2010.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*