06 de março de 2016 07:30

Moro defende ação contra Lula

Porém, juiz afirmou, em nota, que ‘não antecipa culpa’

Por Redação

Em nota divulgada nesse sábado (5), o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato, defendeu a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocorrida na sexta-feira (4), mas diz que a medida não significa uma “antecipação de culpa”.

Após a ação da Polícia Federal na 24ª fase da Lava Jato, Moro foi criticado por Lula, militantes do PT e até pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello.

No texto, Moro começa justificando as medidas autorizadas por ele e solicitadas pelo Ministério Público Federal (MPF). “Essas medidas investigatórias visam apenas o esclarecimento da verdade e não significam antecipação de culpa do ex-presidente. Cuidados foram tomados para preservar, durante a diligência, a imagem do ex-presidente”, disse Moro.

Ele ainda disse lamentar os episódios de manifestações e confrontos ocorridos ao longo de toda a sexta, após o petista ter sido conduzido para prestar depoimento.

“Lamenta-se que as diligências tenham levado a pontuais confrontos em manifestação políticas inflamadas, com agressões a inocentes, exatamente o que se pretendia evitar”, continua a nota.

Segundo a coordenação da Operação Lava Jato, a condução coercitiva do ex-presidente foi uma medida tomada para evitar a ocorrência de manifestações e confrontos entre militantes pró e contra Lula.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*