29 de fevereiro de 2012 15:46

Novo ministro nega indicação como pressão do partido

Marcelo Crivella

Por Edvaldo Júnior

Ainda nesta quarta-feira (29/02), após ter sido indicado, o novo ministro da Pesca, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) negou que seu nome tenha sido escolhido pelo Palácio do Planalto para interferir no cenário da disputa pela Prefeitura de São Paulo.

Crivella também quis com o comunicado, amenizar conflitos de setores do governo com os evangélicos.

O ministro também afirmou que a presidente Dilma Rousseff “usou de toda sua genialidade política para abrigar um partido por afinidade” e que a conversa com ela foi “técnica”, sem passar pela disputa municipal.

O PRB tem como pré-candidato em São Paulo o ex-deputado Celso Russomanno.

“Acho que o PRB em São tem um candidato, que é o Celso Russomano, e em nenhum momento quando a presidente me convidou isso foi aventado. Pelo contrário, só tivemos conversas técnicas”, disse.

Crivella disse que foi convidado no fim de semana e que Dilma “insistiu em seu nome” e que “ela queria fazer uma homenagem ao povo fluminense”.

Crivella disse que sua indicação não foi por conta da bancada evangélica. “Faço parte da bancada evangélica e espero que ela consiga cooperar com o governo. Mas eu sou indicado do PRB e não da bancada evangélica, embora tenha muita honra de pertencer a ela.”

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*