10 de fevereiro de 2017 18:18

Paralisação da PM no ES é ‘inaceitável, diz Temer

A onda de violência no estado deixou 121 mortos, segundo Sindipol

Por Redação

O presidente Michel Temer se pronunciou por meio de nota, nesta sexta-feira (10), sobre a crise na segurança pública no Espírito Santo.

Para Temer, o movimento de policiais militares no estado de “ilegal”, é “inaceitável”. O presidente afirmou ainda que o direito à reivindicação “não pode tornar o povo brasileiro refém”.

A onda de violência no estado deixou 121 mortos, segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol). A crise teve início após mães, esposas e irmãs ocuparem a frente de Batalhões e Quartéis da Polícia Militar na Grande Vitória e em cidades do interior, impedindo os policiais de saírem para o traballho. Elas pedem melhores condições de trabalho para a PM e aumento salarial (reposição da inflação e 10% de ganho real).

“O presidente Michel Temer acompanha, desde os primeiros momentos, todos os fatos relacionados à segurança pública no Espírito Santo. Condena a paralisação ilegal da polícia militar que atemoriza o povo capixaba. Ao saber da situação, determinou o imediato envio de dois mil homens para reestabelecer a lei e a ordem no Estado”, diz trecho da nota da Presidência.

“O presidente ressalta que o direito à reivindicação não pode tornar o povo brasileiro refém. O estado de direito não permite esse tipo de comportamento inaceitável”, continua o texto.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*