05 de setembro de 2017 08:26

Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro é alvo de operação

Ele é suspeito de intermediar compra de votos para a escolha da Rio como sede da Olimpíada

Por Redação

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (5) uma nova fase da Operação Lava Jato e cumpre mandado de busca e apreensão, no Rio de Janeiro, na casa do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman.

Denominada de Unfair Play, a ação tem o objetivo de desmontar um esquema criminoso envolvendo o pagamento de propina em troca da contratação de empresas terceirizadas por parte do governo fluminense durante os Jogos Olímpicos realizados no Rio de Janeiro em 2016.

Segundo as investigações, Nuzman é suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes africanos do Comitê Olímpico Internacional para a escolha da Rio de Janeiro como sede da Olimpíada. Ele foi intimado a depor nesta terça na sede da PF.

“As investigações, iniciadas há nove meses, apontam que os pagamentos teriam sido efetuados tanto diretamente com a entrega de dinheiro em espécie, como por meio da celebração de contratos de prestação de serviços fictícios e também por meio do pagamento de despesas pessoais. Além disso, teriam sido realizadas transferências bancárias no exterior para contas de doleiros”.

Além dele, o empresário Arthur César de Menezes Soares também é alvo da investigação.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*